Publicada em: 11/02/2020 13:59

UEA e SEC alinham ações para fortalecer a cultura do Amazonas

Transformar o Amazonas em um grande palco para importantes eventos com artistas nacionais e internacionais é a proposta da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Amazonas (SEC-AM). Na tarde desta segunda-feira (10), representantes das instituições estiveram reunidos para alinharem ações que possam potencializar o setor no Estado por meio da sustentabilidade cultural e ambiental aliado com a educação.

Na oportunidade, o Reitor da UEA, Cleinaldo Costa, colocou a estrutura institucional da universidade a favor dos eventos da SEC e reafirmou mais uma vez o compromisso da Gestão Superior com as ações que possam fomentar a cultura local, assim como o aprimoramento da formação acadêmica por meio da arte.

"Estamos alinhando o desenho do calendário cultural deste ano e do próximo ano visando o fortalecimento das nossas ações em prol da cultura. A UEA se coloca a disposição da SEC para promover a arte através do conhecimento. Enfatizo que a cultura é um legado vivo, é o setor que movimento uma cidade", disse Cleinaldo.

O secretário da SEC, Marcos Apolo Muniz, acrescentou dizendo que essa relação de parceria com a UEA é uma forma de avanço nas ações que são importantes não somente para a cultura local, mas para a formação acadêmica dos alunos da universidade por meio do intercâmbio com artistas de todas as partes do mundo que ministrarão workshop e oficinas disponibilizando seus conhecimentos durante a edição de 2020 do Festival Amazonas Jazz.

Apolo destaca ainda que o diálogo acerca dessas ações que estão sendo construídas em conjunto com a UEA representa o caminho para o amadurecimento, a evolução e a expansão da cultura do Amazonas.

"Esta é a forma para desencadearmos uma série de ações com grandes artistas. Estamos falando de alguns projetos já planejados para 2020, mas também os que estão encaminhados para 2021. Estaremos colocando o Amazonas no circuito de atividades culturais internacionais com o apoio de peso da UEA. A nossa intenção é realizar um grande intercâmbio com alunos, professores e artistas mundo inteiro. Esse é um modelo bem interessante de projeto que vem sendo um dos motivos dessas nossas reuniões", comentou o secretário da SEC.

Já o diretor o diretor artístico do Festival Amazonas Jazz, Rui Carvalho, explicou que as ações alinhadas irão acontecer na maioria das vezes na própria UEA. Rui revela que para o próximo ano a ideia é transformar o Amazonas Jazz no Green Jazz Festival, alinhando a network do festival com a sustentabilidade cultural.

"O nosso objetivo é reunir em Manaus artistas das universidades de Nova Iorque e dos Estados Unidos numa ação conjunta com a SEC e a UEA. Outra novidade é ajustar com o governo português através do Ministério das Relações Exteriores um projeto que vise à aproximação do artista internacional com o público amazonense. Tenho a certeza que a arte, a cultura, a ciência e o conhecimento estão muito alinhados neste contexto. Eu, particularmente, confio muito no êxito e no sucesso desse relacionamento que estamos estabelecendo com a UEA", ressaltou Rui.

O diretor também falou de um grande projeto ventilado para 2021 que seria o Summer Camp. A ação faz uma imersão da cultura brasileira para alunos americanos por meio do convívio com alunos brasileiros. A ideia potenciaria a possibilidade de relacionamento entre os acadêmicos para ampliar os horizontes, principalmente no que se refere ao conhecimento cultural dos países.

"Além da possibilidade de outros artistas estarem visitando Manaus, de estarem participando de apresentações no Teatro Amazonas, terão a oportunidade de estarem disponibilizando o seu conhecimento através do Summer Camp. Essa é uma das prioridades da UEA e da SEC", disse Rui.

Por fim, a produtora executiva e coordenadora geral do Festival, Inês Daou, falou do suporte oferecido pela UEA para o fortalecimento da cultura. Ela enfatizou que a parceria tem sido o combustível para a continuação dos planejamentos das ações culturais do Estado.

"A UEA tem sido fundamental nesse contexto. Para nós da produção essa parceria é um conforto muito grande, é o que nos transmite tranquilidade. A universidade tem uma estrutura completa com professores que são mestres e doutores que podem contribuir de forma significativa para as nossas ações. Eu diria que sem a participação da UEA tudo ficaria muito mais difícil. Essa união da SEC com a UEA é muito gratificante",pontuou a produtora.

Participaram também da reunião a Pró-reitora de planejamento da UEA, Maria Olívia Simão, o procurador jurídico da UEA, David Xavier e o vice-diretor da Fundação Universitas de Estudos Amazônicos (FUEA), Carlos Henrique de Souza.

Texto: Gerson Freitas/ASCOM UEA
Foto: Joelma Sanmelo/ASCOM UEA