Publicada em: 12/01/2021 18:32

Em Audiência Pública, reitor da UEA disponibiliza ajuda para ações de combate a Covid-19

O reitor da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Cleinaldo de Almeida Costa, que participou nesta terça-feira (12), da Audiência Pública da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALEAM), colocou a estrutura da Universidade à disposição do Estado para as ações de enfrentamento durante esse período de alto contágio de Covid-19, além de enfatizar que a instituição pode auxiliar no plano de vacinação.

Segundo Cleinaldo, é preciso planejar a vacinação na capital e no interior do estado, definir grupos de prioridade/risco, logística, campanha de vacinação, ativar de toda rede e treiná-la, conversação da vacina, organizar a demanda e, também, reforçar os cuidados para evitar um novo pico.

"Atualmente, essa doença mata pessoas de todas as classes sociais e em todo lugar do Estado. Já colocamos a estrutura da UEA à disposição das ações de combate a Covid-19. Estamos alinhando com o Governo a reativação do Chatbot (atendimento via internet), com o intuito de orientar a população sobre os procedimentos corretos para desafogar a rede de saúde. Além disso, a Universidade poderá atuar no planejamento e nas ações efetivas da vacinação na capital e no interior. É muito importante nós, enquanto Sistema Único de Saúde, compreendermos a necessidade de uma grande campanha de imunização, para que a população acredite na vacina", salientou.

O reitor enfatizou ainda a importância das ações de prevenção para frear o aumento de novos casos no Amazonas. "É preciso insistir no isolamento social, como medida de contenção, pelo menos nos próximos 15 dias. Isso é urgente. É preciso trabalhar fortemente a questão isolamento social, evitar e reduzir aglomerações, usar máscaras de maneira intensiva, lavar as mãos o tempo todo e o usar álcool em gel", destacou.

Para o gestor da UEA, outra preocupação é planejar o tratamento das doenças negligenciadas. "Tratar, sobretudo, uma estratégia para resolver as doenças negligenciadas durante a pandemia. Doenças oncológicas, cardiovasculares, hipertensão e diabetes, doenças respiratórias sazonais no período de chuvas e no período de transição para o calor em maio e junho. É muito importante lembrar desse trabalho. É preciso planejar essa atenção em doenças crônicas, doenças degenerativas, durante esse período de pandemia. À medida que todo o esforço está concentrado em reduzir os danos", concluiu.

Ações da UEA na Pandemia

Na oportunidade, a deputada e presidente da Comissão de Saúde da ALEAM, Mayara Pinheiro Reis (PP), parabenizou a UEA pelas ações realizadas durante a primeira onda da Covid-19 no Amazonas. "Recebam a minha enorme admiração pelo trabalho da UEA que tem se dedicado desde o início da pandemia no Estado. Vimos o protagonismo da Universidade diante de toda essa luta contra o Covid-19", finalizou.

Os membros da comissão aprovaram a realização da Audiência Pública durante a reunião extraordinária convocada pela deputada Mayara, na última quinta-feira (7), devido ao aumento expressivo de casos e óbitos na capital amazonense. O Estado está na fase roxa da pandemia, considerada de alto risco pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM). O evento teve por objetivo tratar das informações detalhadas acerca do cronograma de vacinação contra a Covid-19, a ampliação de leitos na rede pública de saúde e reforço no atendimento primário, entre outras pautas.

Participaram do debate, o secretário de Estado da Saúde (SES-AM), Marcellus Campêlo; a secretária municipal de Saúde (Semsa), Shádia Fraxe; representantes da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Ministério Público do Amazonas (MPAM), Conselho Regional de Enfermagem (Coren), Universidade Federal do Amazonas(UFAM), e Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Texto: Gerson Freitas/ASCOM UEA